praia

By sufragista - julho 28, 2018


Se te estenderes na areia
faz montes que
encaixam no
teu corpo, como moldes.

Se entrares na areia
deixa o vento
pentear as curvas
nas costas, fazer carícias.

Se te deitares nas rochas
encontra o ângulo,
a linha côncava do
mineral.

Se entrares nas rochas
deixa que o limo
e as algas te cubram
como escamas novas.

Se fitares o mar
atira-lhe as conchas que devolve
à rebeldia da areia
e do vento.

Se desejares as ondas
não as olhes. Ouve-as só,
a balançar como
um corpo estranho.

Se souberes do mar,
da massa de água,
não a abraces. Senta-te ao lado.
Penteias a areia
acaricias a pele, no ar,
voltas ao peixe.
Depois, um ser unicelular, sem memória
nem gesto.

  • Share:

0 comments